Skip to content

A idade chegando

31 março, 2008

Sigo no ônibus em direção ao único banco vago, na janela. Olhei para a mulher sentada ao lado, no corredor, putz, conheço. Mas de onde?

– Oi, tudo bem? Com licença.

– Oi, tudo bom. Cristina, né?

Como é que uma mulher já com seus quarenta e tantos anos lembra meu nome e eu não sei nem de onde conheço ela? Do Sévigné? Mãe de algum colega do colégio?

– E então, o que tu tá fazendo?

– Jornalismo.

E assim vai. Ela pergunta e eu respondo. Eu nem posso perguntar “como andam as coisas lá?” porque eu não sei se o que nos liga é um lá ou um quem.

– Como vai a tua mãe?

– Bem.

– Como é mesmo o nome dela?

Tá, é agora, eu digo “Arlete, e o teu?”.

– Arlete.

– Manda um abraço pra ela.

Acho que não vou dar o recado.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 31 março, 2008 21:25

    Mentiu no blog, que eu sei.
    Deu o recado afu.
    Ai ai ai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: