Skip to content

O “elefante branco”

1 junho, 2008

Alegre de champanhe, satisfeita com camarão e salmão, eu podia dizer que vi o museu Iberê ser inaugurado. Ficamos das cinco e meia à meia-noite na festa que ia até as nove. Mostra da qualidade com que fomos recebidos. Mas isso é a parte menos importante. Daqui a cinqüenta anos, vou poder dizer pros meus netos que vi o primeiro museu de verdade de Porto Alegre ser inaugurado.

Primeiro museu de verdade? Pois é, “as pessoas acham que aquilo ali (o Margs – Museu de Arte do Rio Grande do Sul) é museu, na verdade aquilo é uma alfândega, um prédio de repartição pública adaptado pra museu”, me disse o museólogo Francisco Marschall. E assim é com todos os espaços de exposição em Porto Alegre. Nenhum nasceu com vocação para museu. Agora um, sim.

O museu é, na verdade, a nova sede da Fundação Iberê Camargo. “Essa instituição não vai se chamar museu, mas Fundação Iberê Camargo. Porque o museu tem uma conotação de guarda de obras, de uma situação de preservação. Isso existe. Mas uma das vocações fundamentais da fundação é o incentivo ao pensamento sobre a arte.” Mônica Zielinsky, a autora dessa frase, fez a catalogação de toda a obra do artista gaúcho Iberê Camargo, para cujas obras o espaço foi construído.

Para quem duvida da importância do negócio, dá uma olhada em quem assina o projeto do prédio: o nome dele é Álvaro Siza, um arquiteto português, referência mundial. Referência mundial, aliás, virou Porto Alegre no que diz respeito a arte moderna e contemporânea. Pode não ser unanimidade, mas não se pode dizer que o prédio seja tímido ou pouco importante. Chamado de elefante branco por alguns, defendido entusiasticamente por outros. Particularmente, tenho que confessar que a arquitetura do prédio me atrai mais do que as obras do Iberê. Não sei direito se gosto, mas me faz pensar, me chama a atenção.

Acho que, se fizer isso com todos, cumpre com o seu objetivo. Feio ou bonito, não importa, ele choca. Se a arte deve fazer isso, esse prédio é arte. O Iberê é construído em concreto branco, tem rampas aparentemente meio tortas delineando a fachada e, o mais marcante, praticamente não tem janelas. Detalhe, ele fica na orla do Guaíba, tem uma paisagem lindíssima. Mas é fechado. O artista plástico Paulo Gomes é da turma dos defensores do projeto. “Eu já vi vários comentários, as pessoas reclamarem que não tem nenhuma janela pro Guaíba, mas isso é uma demência, uma loucura. Pros gaúchos todos os museus têm que ter milhares de janelas. O museu não é aberto pra fora, o museu tem que ser aberto pra dentro.” O museólogo Francisco Marschall concorda: “O acervo pertence ao interior, ao coração do museu, uma experiência estética que se dá dentro do museu, não olhando pela janela. Então, muitos acham aquilo um bunker, porque ele está fechado pra área externa, mas exatamente esse é um conceito de museu”.

Ou seja, gostando ou não, o museu inaugura um novo tempo na arte de Porto Alegre. A “capital cultural” do Brasil não podia continuar sem um museu de verdade. Porto Alegre cresce. Adquire uma importância no mundo artístico difícil de expressar. O país cresce também. E nós vamos pelo menos poder falar que um dos maiores arquitetos do mundo fez um prédio aqui que mudou a noção de arte da cidade.

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 1 junho, 2008 23:35

    Bá, e foi champagne, hein. Que museu, que Iberê o quê? Sei é daqueles camarões enormes, daqueles canapés fantásticos, daquele pescado fora de série e daquele champagne todo. Nossa, quanto champagne.

  2. natusch permalink
    3 junho, 2008 03:12

    Depois de alguns anos passando de ônibus na frente daquela obra, posso dizer que ela passou a fazer sentido =P

  3. Rochele permalink
    18 junho, 2008 23:19

    Cris parabéns pelo texto. Deve ser chocante e lindo, como tu falaste. beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: