Skip to content

Porquinho e Melancia

19 junho, 2008

Quatro dias antes do aniversário, aparece o cartaz atrás do banco do motorista convidando o pessoal pra festa. Festerê, pra todos os passageiros do C2 tabela 4. Salão grande, buffet, decoração, ônibus para levar os convidados. Não, nada disso. Na verdade, só a última parte. Salgadinhos e torta são distribuídos a quem estiver no ônibus, no horário de trabalho de Porquinho e Melancia mesmo.

Melancia trabalha com Porquinho há 18 anos. Ele é cobrador do ônibus que Porquinho dirige. Vários aniversários já foram comemorados ali, com os passageiros conhecidos, de todo dia, ou com os que aparecem sem querer no meio da festa. Os serviços dos dois já estão até sendo contratados. Não ganham nada, mas já fazem festa de criança. Pelo menos uma, que a mãe dela já ligou pedindo pra fazer a festinha do filho no C2, com os mesmos salgadinhos e a mesma torta.

Por enquanto a especialidade são os aniversários, mas até casamento já teve. Bom, não casamento casamento, mas o cupido já passou por aquele ônibus. Uma passageira reclamava muito que era sozinha, sempre rezava pra Santo Antônio (santo que marca, aliás, outra das comemorações do C2 de Porquinho e Melancia) e nunca achava um marido. Um dia sua história veio a público por interferência dos dois. Foi parar no jornal. Um cara do interior viu e veio atrás. Melancia garante que ela era muito bonita, apesar de ter que recorrer a esses meios pra achar um marido. Mas casaram, e hoje a criança já tem três anos.

A velhinha chata de todos os dias à tarde sempre reclama de alguma coisa. Melancia tem dias que não agüenta olhar pra mulher. Mas atende, sempre simpático, como são os dois. Um dia ele não agüentou. A velhinha estava chata demais e dizia até palavrão. Sabedor dos pontos fracos da mulher, indicou. Naquele dia, segundo Melancia, a Linha Turismo era de graça. Não estava cobrando os cinco ou sete pila que cobra sempre. A velha se alvoroçou. Anda de ônibus porque é de graça. Mas naquele nunca tinha andado, não. E hoje era de graça. Desceu do C2 bem contente. Em outra viagem, perguntou a Melancia se tinha sido ele que lhe indicara o ônibus panorâmico no outro dia. Bem rápido, respondeu: “Eu não!”.

Porquinho trabalha no C2 há 18 anos. Melancia, há 22. Sorriem muito. O tempo todo. Se são felizes? Não sei, parece.

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 19 junho, 2008 20:15

    É sério isso?

  2. 19 junho, 2008 21:19

    Seríssimo. O Porquinho ganhou o apelido porque foi chamado uma vez de porquinho da índia. O Melancia eu não lembro =/
    Mas eles disseram que a maioria dos que trabalham nos circulares tem apelido. E o resto todo foram os dois que me contaram.

  3. 20 junho, 2008 08:56

    que fofo!
    Agora eu quero começar a andar de C2 ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: