Skip to content

Sobre a popularidade

25 novembro, 2008

hugo_chavez-724441Essa semana teve eleições municipais na Venezuela. Um teste para Chávez, quase um plebiscito, essas coisas todas. Acabei de ler uma reportagem sobre o assunto na Carta Capital – muito interessante, por sinal – e o finalzinho dela me fez comparar as coisas lá com as coisas aqui. Mas só em um aspecto bem específico.

Lá, 80% das pessoas consideram muito importante votar, uma forma de mudar as coisas. No Brasil, são 58%. Nos cartazes das eleições municipais de lá, o Chávez aparece mais que os candidatos. Aqui, muito se tentou fazer o Lula apoiar cada candidato em cada cidade, em busca da transmissão da popularidade do presidente. Alguns conseguiram, de forma mais ou menos discreta, mas esse apoio não se refletiu muito nas urnas. O Chávez não, ele transfere votos. Ele elege candidatos em todos os lugares em que o apoio a ele é maioria.

Um líder de uma comunidade pobre com mais de 50 mil moradores em Caracas disse que as pessoas lá estão descontentes com algumas coisas do governo bolivariano, mas ninguém ali vai deixar de votar no candidato do presidente. Detalhe: o candidato de Chávez é sempre do partido de Chávez. O candidato de Lula nas últimas eleições ia do PT ao PP, passando por PMDB, PSB e o que mais fosse, até aliança com o PSDB.

Por que essas diferenças? Claro, é só uma opinião, não sou analista política nem nada, só uma observadora, mas acho que isso acontece justamente por causa dessa divisão clara. Ou se é governo ou se é oposição. No Brasil, as coisas estão tão misturadas que não se sabe mais quem é quem. O Lula tem popularidade, mas o que ele representa? Ele não representa um partido para a grande maioria da população que o apóia. Com isso, ele também não representa uma idéia. Ele é popular porque tem políticas populares, porque tem carisma, porque sim. Não quero com isso dizer que o governo dele é horrível. Tenho muitas críticas, mas enxergo muitas coisas boas. Mas entre as críticas está essa, de que o Lula não representa mais uma ideologia como representava alguns anos atrás.

Na Venezuela, o Chávez é popular também porque é carismático e porque tem políticas populares, mas tem por trás uma idéia, o socialismo bolivariano, a revolução. Mesmo que tenha feito muitas coisas erradas também. Ele tentou a reeleição indefinidamente. Não conseguiu. Mas provavelmente ele elege um sucessor, se ainda não conseguir mudar a Constituição. Elege mesmo com uma Venezuela dividida e uma oposição ferrenha, muito mais determinada que a oposição brasileira. E isso porque ele representa uma política de transformações. Ele representa o PSUV, ou o PSUV representa a política chavista, tanto faz. O importante é que tem uma política, uma linha, uma ideologia. Tudo o que está faltando no Brasil.

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. Alexandre Haubrich permalink
    25 novembro, 2008 16:25

    xusogro q nao te leia

  2. Isma permalink
    25 novembro, 2008 20:19

    Não te diminua na posição de analista política. Não és, mas poderia muito bem ser.

  3. Alexandre Haubrich permalink
    25 novembro, 2008 20:31

    Nossa, o Isma que visita blogs tá vivo!
    E com comentário bem pertinente. Ia comentar isso mas esqueci. Não te coloca no mesmo nível dos outros, porque estás bem acima.

  4. Ana Maria Lellis Krupelis permalink
    4 março, 2010 01:55

    Tem razão: você não é uma analista política.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: